Patos não são marrecos

A solução para o trânsito é encher a cidade de patos. Uns 400 mil patos.

Eles andam devagar, congestionariam ainda mais as ruas, deixando tudo parado e daí todos procurariam alternativas como andar a pé, de bicicleta ou voando (por meio de um processo acelerado de evolução que poderia nos obrigar a desenvolver asas).

“Imagina, o povo iria atropelar os bichos”. Sim, alguns patos seriam atropelados, mas no geral as pessoas possuem bom coração e não teriam essa coragem toda. Você conhece alguém que, sem problemas de consciência, carregaria nas costas a culpa pela morte de um pato?

Patos são engraçados, vamos pensar nisso.

No meu trampo novo tem um cachorro

me
quando vim fazer entrevista ele me adorou, mas tava junto com o dono
aí ontem ele me encontrou sozinho no banheiro q tem na parte de trás
aí foi bem tenso
agora to com medo dele :-(
ele passou aqui ainda agora, me cheirou e saiu

Mariana
hahahahah por um momento achei que voce tivesse falando do seu chefe

Aí não, né

Caras de 30 e poucos anos, crescidos no Mega Drive e com medo de terem seus Nike Air Max roubados na volta do curso de inglês, agora estão vindo com aquele papinho de “essa molecada de hoje em dia não sabe mais o que é tal coisa” em referência a um tempo de travessuras supostamente rurais que teriam vivenciado.

Tcharam!

São Paulo, 2028. Após uma guerra mundial ter dizimado quase a totalidade dos fumantes e héteros que faziam sexo oral sem frescura em seus parceiros, a cidade é dominada por gangues de ciclistas, corredores e pessoas que apreciam viver e compartilhar experiências gastrônomicas diferenciadas nas redes sociais.

Neste cenário de horror e falta de esperança, surge um homem capaz de lutar contra a frescura opressora. Sim, um campeão do povo, intrépido libertador, inimigo número um das coisinhas, um corajoso exemplar da raça que…não, ele preferiu voltar ao sofá e tirar mais uma pestana.

Sâmertáááimeee

Lembro da noite em que perguntei à cantora do bar  – que fazia aquela linhagem sedutora do jazz –  se ela curtia cachorro. “Sim”, ela respondeu. “Au”, eu disse. A foto da moça cantando ao pé do meu ouvido figurou durante muito tempo naquela imensa área central degradada, conhecida em sua era de ouro como Orkut. Eu usava uma camiseta pop-boboquinha do National Kid, malha de péssima qualidade. Após 5 ou 6 lavagens, adquiriu repugnante catinga na região das axilas, mesmo quando não havia suor.

Grito na janela

Vamos analisar essa nossa esquizofrenia moderna de desabafar contra algo para o nada apenas como forma de afirmar nossas personalidades transgressoras perante os círculos sociais mais próximos?

“Ei, [empresa X / grupo de pessoas Y / fenômeno sócio-cultural Z], não adianta [mandar spam / publicar protesto em rede social / divulgar suas intenções por qualquer raio de canal] que [eu tô de boa / eu tô cagando / eu tô que tô], grato.”

E se ainda não manjou, visita lá mais essas duas piadas da casa: E o pessoal nunca mais e Bolo do Batman.

Muita preguiça e picaretagem

O primeiro objetivo de um blog é fazer com que seu autor consiga comer alguém por causa dele (do blog). Conseguiu qualquer oportunidade ou contato além disso? Fez amigos? Comeu mais de uma pessoa? Parabéns, seu grande vencedor!


Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

  • não dá mais pra escutar black keys sem pensar que é banda de patricindies e mauricindies 1 day ago
  • você prefere A PRIORI ou A POSTERIORI 1 day ago
  • comprei um tênis em uma LOJA FÍSICA como no tempo em que DONDON jogava no ANDARAÍ. 1 day ago
  • isso a gente combate sabe como? com in-for-ma-ção 1 day ago
  • GENTE!! agora eu quero ler as listas de melhores livros de vcs em 20161' 1 day ago

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: