Zapping 2

Zapear a TV está me fazendo mal. Ontem após uma sessão MTV com Pimp My Ride, Covernation e um programa horrível com a VJ e gata-dou-casa-comida-roupa-lavada-e-edredon-de-algodão-egipício Luisa Micheletti , assisti o fim sem graça do Jô com uma Plebe Rude vestida de Rick & Renner (adoro a ingenuidade dos nomes de bandas punk, mas isso é outro assunto, assim como os nomes de duplas pretensamente sertanejas).

Por inércia, mantive na Globo e o Intercine – sessão de filmes mais eclética da TV brasileira – iniciava a exibição de “Lambada – A dança proibida” de 1990. Lembro dele no cinema, mas não sabia do que se tratava. Caso tivesse me ocupado em pensar no assunto, provavelmente imaginaria a história de uma dançarina que “vem de baixo”, trabalha em uma fábrica de pneus ou em fast food, sofre assédio sexual do patrão crápula inescrupuloso, mas não desiste de seus sonhos, conquistando amor e sucesso através de seu talento para dança.

Mas o roteiro é um pouco diferente disso. Nisa, princesa de uma tribo de índios brasileiros que falam espanhol (legendas em português ajudam na compreensão dos diálogos), dançava lambada tranqüilamente no meio da Amazônia, até que uma empresa americana de porcos capitalistas chega no meio da parada dizendo que vai derrubar tudo e levar a madeira. Desesperados, os índios enviam a jovem princesa (que é uma baita de uma gostosa) para Los Angeles, acompanhada do pajé da tribo (que até o meio do filme não dançou lambada). O objetivo da dupla é levar o drama da destruição da floresta à grande mídia.

Chegando nos EUA, já falando inglês fluente, Nisa arruma trabalho como doméstica na casa de uma família rica, onde conhece o filho dos patrões, o playboy Jeff James, um notívago e exímio dançarino.

Em sua primeira noite na casa, Nisa rebola sensualmente em seu quarto trajando apenas um baby doll mamãe-quero-mostrar-a-bunda. Jeff estava de saída e passa de relance pela porta entreaberta do quarto. Apaixona-se por Nisa e imediatamente a leva para uma boate. Nessa parte dormi e acordei já com a Fabiana Scaranzi no Bom Dia Brasil, mas imagino que Nisa não conseguiu cumprir seus objetivos, pois a floresta continua sendo devastada e, pior ainda, ninguém mais dança lambada no meio do mato.

Anúncios

6 Responses to “Zapping 2”


  1. 1 Marcelio Lealhttp://www.marcelioleal.net dezembro 29, 2006 às 3:06 pm

    ehehehehehe

    Eh fouda…

    O pior que ainda acho que quando acabou a essa onda da lambada ela já tava grávida e morando longe do cara…

    As coisas perdem o sentido com um tempo ou em alguns lugares…

    Antigamente a lambada era a dança “proibida”, hoje temos várias que se seguissem a mesma lógica seriam danças “proibidas”(Funcks e afins)… Ou seja, esse título perdeu o sentido atualmente.

  2. 2 karla nazarethhttp://www.plasticsurprise.blogspot.com janeiro 3, 2007 às 2:21 pm

    já ganhei prêmios com a dança proibida.

  3. 3 Waleiska janeiro 5, 2007 às 5:08 pm

    Porra!!!!!!!!!! Eu achei que ia acabar em conto erótico esse negócio…
    Vê se fica acordado da próxima vez!

  4. 4 lora janeiro 7, 2007 às 9:58 pm

    Concordo com a waleiska, meu domingo já estava sendo eroticamente animado qdo tu vem e corta assim…tu estás demais Doada
    Beijo Vida

  5. 5 fláhttp://www.eleanorrigby.weblogger.com.br janeiro 7, 2007 às 9:59 pm

    er… não queria dizer, mas já que a karla assumiu, eu tbm ganhei prêmios com a dança em questão. Ah, saudade de 92…

  6. 6 Tylonhttp://www.gardenal.org/ressacamoral janeiro 10, 2007 às 2:36 pm

    Ninguém atualiza essa merda, não? Ô raça!!! (três exclamações pra ti)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: