Inha

Não engulo certas gírias ou expressões do vocabulário paulistano. Acabei de receber esse spam:

“yeah Dodaaa!Te achei numa comunidade da baladinhas alternativas! Tudo bem?
Olha, não sei se você já sabe, mas nesse próximo sábado [20/01] vai rolar a pré-estréia da festa Orgástica na mais nova balada dos Jardins – a Plastic Dreams (alí na Alameda Itu, 1548).
E veja só quem vai te fazer dançar all night loonggggg:
Djs Residentes > Click e BobbbyDjs Convidados > Chapeleta & Pankeka (The Fire) + Well e Gabber
Hostess > Maria Eugência”

Baladinha? Baladinha é o caralho, que droga de palavra é essa? “Balada” por si só já é um saco, vocabulário de Luciano Huck ou de um desses playboys bombados que falam “uhú”, “caraca!”. Essa no diminutivo então é asquerosa, me convide pra farra, esbórnia, cachaça, canalhice, cafajestagem ou pra uma paraensíssima “onda”, mas “baladinha” é a puta que los pariu.

Imaginemos então essa tal balada, que além de ser “inha” e alternativa, ostenta o nome de Plastic Dreams. Sonho e plástico, pra mim, só faziam sentido no tempo em que meus maiores desejos eram veículos dos Comandos em Ação e um Autorama. Hoje em dia me parece pederastia, com todo respeito aos meus amigos homossexuais, mas evito lugares onde o número de homos seja superior a 20% do total, não por preconceito, mas porque – não sejamos hipócritas, os objetivos sexuais são diferentes. De uns tempos pra cá tem isso de nós heteros termos de nos justificar, educada e polidamente, porque não iríamos “pra tal bar” ou “praquela boate”. Porra, eu não vou porque não sou gay! Assim como dispenso churrascos com pagode ou boates de playboy (repito: boate de playboy sempre tem nome de puteiro escroto ou motel ruim, outro dia retomo o assunto).

Um último parágrafo para o nome da hostess no spam: se não for um erro de grafia, a moça é conhecida como Maria “Eugência”. Isso não gera nenhuma piada de grosso calibre, mas lembrei de uma esquecida expressão do jargão publicitário: “Eugência” é uma agência fundo de quintal onde o dono, além de dono, é também redator, diretor de arte, revisor, mídia, atendimento e ainda troca o rolo de papel do banheiro. Sacou? A agência do cara é só ele, é uma “Eugência”, rááá!

Em tempo: não estou em nenhum diabo de comunidade de “baladinhas alternativas”, meu nome deve ter sido pescado em comunidade de banda ou então confundiram Ressaca Moral com uma festa.

Anúncios

2 Responses to “Inha”


  1. 1 karla nazarethhttp://www.plasticsurprise.blogspot.com janeiro 17, 2007 às 11:31 am

    pior que baladinha é ondinha.

  2. 2 Fabriciohttp://acoisaetal.blogspot.com janeiro 17, 2007 às 1:48 pm

    Toda vez que acesso a minha conta no orkut e percebo que recebi scraps novos, entro em desânimo imediatamente. Quase sempre são propagandas de “baladinhas”. Incrível que pedem desculpas, mas continuam enviando. Era um pouco menos doloroso quando os spans não eram enviados por amigos, conhecidos ou pessoas a nosso redor.

    Blog interessante.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: