Camboja Times

Ah, as notícias do meu país de origem. Este blog segue na irrelevante missão de espinafrar o colunismo social de Belém, a terra da Fafá. Seguem abaixo, sem edição, copiadas da maneira como foram escritas em colunas de ontem, domingo, 19 de agosto, as notinhas. Esta semana não troquei nome nenhum.


A Mijad, nova boate que também entra em funcionamento agora no segundo semestre, está com as obras em fase final e promete surpreender.

Bicho, será que ninguém pensou que o nome é uma piada pronta?


Recomendamos você ouvir Tributo a Odair José, onde Pato Fu, Zeca Baleiro e a paraense Suzanna Flag trazem todos os antigos sucessos do compositor popular com uma roupagem pop, que nem parece que um dia foi música brega. Destaque para a interpretação da banda paraense, muito elogiado pela critica especializada.

Aqui não tem nada de engraçado, só de descaso mesmo. Pequenos descuidos em notas demonstram aquela falta de intimidade com a matéria, revelando que você não sabe bem do que está falando e, no fundo, parece nem gostar de falar. Vamos lá:
1 – O nome da banda paraense é Suzana Flag, com um “n” apenas (ok, de repente acrescentaram mais uma letra para fugir de direitos autorais ou por numerologia, mas na época do lançamento do tributo era apenas um “n”).
2 – O tributo ao Odair (cujo nome é Vou Tirar Você Desse Lugar) foi lançado em fevereiro de 2006, cerca de um ano e meio atrás, rapidez é isso aí.
3 – “…nem parece que um dia foi música brega”, ai, ai, preconceito médio de leitor da Veja disfarçado de antenado e culturalmente aberto. Até entendo essa reação, já que, parte do objetivo desses resgates de grandes artistas como o Odair é, justamente, torná-los audíveis para um público que normalmente os receberia de forma negativa.
4 – Temos erro de concordância, mas esse é picuinha comentar, vale o conjunto da obra.


Guilherme Arantes deverá ser a grande atração para a festa de 140 anos do Grêmio Literário Português. Antes será um show somente para a Imprensa, autoridades e participantes da Vila Encantada, que será lançada na ocasião. No Domingo seguinte, Guilherme Arantes fará show para os associados no palco da piscina. Logo em seguida haverá Mocotó e Los Curicas.

E assim Guilherme termina, cantando para gente acima do peso, bebedores de cerveja e devoradores de bolinhos de bacalhau, enfiados em sungas ridículas que deixam suas barrigas à mostra, as esposas em cangas de praia com 10 anos de uso e viseiras de palha com tira de tecido florida aplicada. Como brinde, enquanto canta Planeta Água, Guilherme observará, também, crianças catarrentas mijando na piscina acompanhadas de histéricas babás. E para você que não é de Belém, Mocotó e Los Curicas não são tiragostos e/ou bebidas exóticas do local, mas atrações musicais que entrarão como um plus da programação.


Quando o tema é comunicação, o hit do momento na Europa é o ‘Viral’. Com os custos altos das agências de publicidade, de produtoras de vídeo e de veiculação, eis que surge essa nova mídia. ‘Viral'(‘vi’, de vírus, e ‘ral’, de comercial) são vídeos criativos de até 2 minutos pra serem passados no Youtube, Digg e outros canais da internet acessados por Deus e todo mundo. Sacaram a força da coisa? Detalhe: sem precisar de muita produção e equipamentos! Gigantes como Shell e Ray Ban já entraram na onda. Na Belém globalizada, a Mango City, produtora de cinema do Caíto Martins, esse cara aí da foto, entregou o primeiro ‘Viral’ essa semana prum cliente das ‘zorópa’.

Sinceramente não sei por onde começar. Se a nota fosse de 2004 ou 2005 até que…vai, com alguma boa vontade ela estaria passável…er…não, pensando bem, a explicação etimológica da palavra “viral” (“ral de comercial” foi foda) não credencia a nota nem para o jornalzinho da feira de ciências. Esclarecimento rapidinho: viral vem de vírus mesmo, a palavra existe mais ou menos desde o tempo em que o homem batizou esses organismos conhecidos como, veja só, vírus. A comunicação só pegou emprestado o termo para designar um tipo de mensagem que o usuário espalha na empolgação, espontaneamente. Não precisa ser vídeo, não precisa ser criativo (acredite, nem sempre precisa), não precisa, necessariamente, ter até 2 minutos de duração, aliás, nem precisa ser propaganda, nem precisa estar na internet, basta apenas que tenha um elemento que motive o alvo a passar o conceito pra frente. E sem essa de custos mais baixos, o Gran Prix do festival de Cannes desse ano foi um viral e não foi nada barato (e a agência era do Canadá que, até onde sei, não fica na Europa).

Quem me indicou esta nota foi um amigo que prefere permanecer anônimo (seu segredo está guardado comigo, Paulo!).


Bombaim News – Segundo post analisando notinhas de colunas belemitas.
Bangladesh Connections – O primeiro da série.


Rápido PS: acredite, tudo isto aqui é sério. Explore toda a página, é piada pronta atrás de piada pronta. Indicação do sempre atento e amor de menino Pedrox.

Anúncios

7 Responses to “Camboja Times”


  1. 1 Sarah agosto 20, 2007 às 4:50 pm

    Vi de vírus e ral de comercial.

    Eu caí da cadeira, levantei, sentei, li, caí de novo. Acho que fiz isso cinco vezes até parar de rir. Pqp.

  2. 2 Irmã agosto 20, 2007 às 7:00 pm

    Só não fiquei mais bege com essa nota porque a bochecha avermelhou de vergonha. Quê quê isso?

  3. 3 Iuri agosto 21, 2007 às 9:04 am

    êêêêêêêêêêêêêêêê
    Não fala mal dos portuga do grêmio. O meu sogro é um deles.
    =]

    Sim, ele é barrigudo!

  4. 4 Marina agosto 21, 2007 às 11:05 am

    haahahahahahahahah

    vou ter um colapso!

    Acho que saquei “a força da coisa”

  5. 5 Ian. agosto 21, 2007 às 11:09 am

    descobri que não são apenas os publicitários os residentes das redomas anti-sociedade. O que mais me revolta é que tem gente ganhando bem pra isso.

    Uma conhecida da minha esposa cometeu algo semelhante, ao comentar da novidade que é o Google Earth. Será que somos antenados demais?

  6. 6 Millie agosto 24, 2007 às 3:59 pm

    esse do “Vi de vírus e ral de comercial” é piada né??? kakakakaka E o nome-piada da Mijad!!!kakakaka E depois falam que nós publicitários somos engraçadinhos, colunistas são mais!!


  1. 1 O Clube do Luto « Blog do Pedrox Trackback em agosto 20, 2007 às 8:35 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: