TIM Festival 2007

Como estragar um festival de música muito aguardado em alguns passos.

– Na entrada, proíba objetos potencialmente perigosos como câmeras digitais. Cause um belo incômodo ao seu público forçando quem levou sua máquina a ensacar a mesma e deixá-la sob a responsabilidade do evento em uma tenda muito pouco confiável. Aliás, por que deixar as pessoas fotografarem/filmarem o show, não é mesmo? Ainda bem que difusão de conteúdo produzido por usuário é algo que ninguém liga, não tem a mínima força como mídia e, convenhamos, qual o problema em deixar uma câmera de mil reais em um saco ao lado de outras duas mil câmeras em um festival com público de 20 mil pessoas? Ora, pessoal mimado dos diabos, vou te contar.

– Iniciar o evento às 6h da tarde de Domingo e encerra-lo às 5h da manhã da Segunda é uma ótima idéia, pois a imensa maioria do público não se importa em passar 10, 11 horas esperando apresentações musicais. Ah, você tem que trabalhar, é? Deixe de ser maricas, num guenta? Bebe leite!

– A infraestrutura da arena não precisa ser das melhores, afinal, é sempre muito divertido passar 45 minutos em uma fila para comprar qualquer coisa.  Água não é um artigo essencial, então não compre em grande quantidade. E lembre-se: cerveja quente é tendência.

– Se estão programados 6 shows, não planeje construir dois palcos. O ideal é socar todo mundo no mesmo tablado, assim o processo de montagem/desmontagem do cenário e instrumentos de cada banda demorará cerca de uma hora ou mais, atrasando toda a programação e fazendo a felicidade do seu público que, como já concluímos, não liga para tempo de espera e nem para o trabalho no dia seguinte.

– Ainda falando dos shows, qualidade do som é frescura. Mande as bandas subirem no palco e deixe para fazer a equalização durante a apresentação, assim todos os shows serão surpreendentes. “Uau, agora ouvi a guitarra!”, “Nossa, o vocalista tem voz!”, “Quando aumentarem a bateria essa galera vai sair do chão, espera só”.

[ ‘vamos focar apenas nos shows’ mode on]

– Spank Rock. Ninguém liga pra primeira banda, nesse momento ainda estávamos nos aclimatando ao ambiente e fazendo piadas infames sobre o figurino de algumas pessoas presentes.

– Hot Chip. Do caralho, mas não me mexi porque me sinto ridículo dançando. Falha técnica de 20 minutos broxou todo mundo, apesar disso, eles voltaram e conseguiram reanimar o povo.

– Bjork. Dentre os motivos que me fizeram encarar o evento, essa moça não estava nem entre os 400 principais. Eu já sabia que acharia chato, o que não esperava é que ela despertasse em mim até mesmo um improvável sentimento de religiosidade, pois com 15 minutos de apresentação eu já pedia pelo amor de Deus que aquilo acabasse.

– Juliette & The Licks. Showzaço prejudicado, mas muito prejudicado, pela péssima qualidade do som. Funcionaria melhor em espaço fechado para umas mil pessoas. É aquela apresentação pra quebrar garrafa, arremessar cadeira, arrebentar o banheiro, levar uma bifa da namorada por mau comportamento e, depois, invadir o palco, dar um tapa na bunda da vocalista e mergulhar de cabeça na platéia.

– Arctic Monkeys. Aqui o motivo que me levou até o local. O relógio marcava pouco mais de duas da manhã, os telões estavam apagados (e possuo apenas 1.69 de altura, ou seja, sem um telão é impossível enxergar qualquer coisa), o som continuava uma bosta, mas foda-se, agora era O Momento, mas…é que…bem, eles fizeram o show que se esperava deles: “oi, boa noite, vamos tocar algumas músicas exatamente do jeito que elas foram executadas no disco e, assim que acabarmos, vamos embora, ok?” E assim foi, curtinho, 40 minutos, tchau.

– The Killers. Seria facilmente o melhor show do festival, talvez até tenha sido, mas eles entraram no palco às 4 da manhã, eu estava em pé desde às 6 da tarde, com fome, com sono e, além de tudo isso, não sou fã do grupo, então qualquer avaliação seria mal feita. Fui embora na metade.

[ ‘vamos focar apenas nos shows’ mode off]


Rápido Ps1: a empresa organizadora do TIM Festival 2007 foi a Dueto Produções (só achei esse site aqui e em manutenção, não sei nem se é o deles mesmo). No próximo grande evento que você for, fique ligado em quem está organizando, sendo a Dueto, tô fora.

Rápido Ps2: esse final de semana refleti sobre uma questão até então jamais abordada em minhas filosofadas comigo mesmo. Bolinho, sim, um bolinho de bacalhau, por exemplo, nada mais é que o feminino de bolinha. Sim, uma bolinha de gude, de feltro, de lã, avelã, zum de besouro um imã? Alguém comeu sua irmã? Sim, aquela anã. Filosofia meio vã? Sim, maçã.

Anúncios

10 Responses to “TIM Festival 2007”


  1. 1 Rodrigo Lupatini outubro 29, 2007 às 3:32 pm

    Sei que o fato de não ter ido ao festival já quase me desqualifica a comentar qualquer coisa. Mas não posso deixar de fazer algumas comparações.

    É por notícias, que hoje borbulham nos sites de música, que cada vez mais compreendo de onde a música sertaneja e popular alavanca públicos tão fiéis.

    Trabalho em uma rádio, e aqui produzimos shows. Recentemente, no último dia 10 de outubro, fizemos um show com 22 atrações, sendo atrações nacionais e locais. Todas atrações populares e sertanejas. Conseguimos alcançar a marca de mais de 45 mil pesssoas assistindo ao show no local. Isso dá DOIS TIM FESTIVAL. DOI TIM FESTIVAL!!!

    Ah, neste show, com 22 atrações, começamos as apresentações as 19h da noite e as 4 da manhã já havia terminado. Isso mesmo com 9 horas de duração colocamos 22 atrações para tocar para um público de mais de 45 mil pessoas. Ok, cada apresentação tocou de 3 a 4 músicas só. Mas não ouve buracos, era uma atrás da outra. Isso tudo aqui no meio do Pantanal. Em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

    Tinha alguma atração do gênero rock? Não! Tinha algum GRANDE ESTRELA? Não!

    Fico triste com isso, pois sou do Rock And Roll, mas é foda. Hoje rock na minha vida, só através de CD, DVD ou MP3. Quero que se exploda os shows de rock.

  2. 2 Horionsys outubro 29, 2007 às 6:15 pm

    Não acredito que os macacos não sabem fazer um show.

    tsc tsc tsc…

  3. 3 Pedro outubro 29, 2007 às 7:04 pm

    Cara, você citou alguns dos problemas que me fizeram optar por ver os shows no Rio em vez de São Paulo. Outros foram o preço do ingresso e a maldita ‘área vip’ na frente do palco. Fui ao Rio, vi Juliete and The Licks e The Killers em uma tenda com cerca de 5.000 pessoas. Não gosto das músicas da Juliette, mas o show dela lá foi fodaço, com direito à vocalista descendo no meio da galera ao final (sim, desceu mesmo!). O show do Killers foi fenomenal (foi isso que eu fui assistir) e ainda estou sem voz graças a ele.

    Você devia ter ido ao Rio, oras!

  4. 4 Julia outubro 30, 2007 às 2:32 pm

    O pessoal que foi no show em São Paulo se ferrou BONITO!

    – No Rio não proibiram nada. Na verdade nem olharam a mochila trambolhesca que estava nas minhas costas.

    – Claro que no Rio rolou um certo atraso, mas nada tão exagerado assim. Achop que a única grande falha foi o cancelamento no Novo Rock Br por causa da chuva.

    – Eu não gastei nem 2 minutos comprando refrigerante, mesmo no final do show quando estavam todos desidratados e foram correndo pra Devassa.

    – No Rio tinha 4 palcos. Tudo bem que tiveram a brilhante idéia de construir um sem cobertura e o show foi cancelado, mas pelo menos você só tinha que ver uma troca de banda e não tinha que aguentar bandas que você não tava ali pra ver.

    – A qualidade do som no Rio tava boa. Deu até pra entende rquase tudo que o Alex falou. E aliás, pelo que meus amigos me falaram, o show dos monkeys no Rio foi beeem melhor! E não tinha a maldia área VIP.

    Ou seja: considere vir ao Rio na próxima vez.

  5. 5 Maíra outubro 31, 2007 às 10:06 am

    Ah.. e aqui em Curitiba que vai ser hoje.. numa linda quarta.. quer dizer.. linda até as 18h.. depois disso começam os temporais de verão.. e porque sempre as 18h? Porque é a hora que estou saindo do trabalho.. não tenho mais dúvida nenhuma que é o pessoal o negócio.
    Agora vamos analisar.. numa quarta-feira que provavelmente vai chover.. enfrentar filas e aturar a Bjork.. é.. vou pensar bem no “ir não ir”..hahahaha

  6. 6 Fana novembro 3, 2007 às 4:57 pm

    powwwwwwwwwwwwwwwwwwww, nada a ver proibir as câmeras…. sacanagem!!!

    the killers, queria ver um show, eu gosto de the killers, mas aguentar tudo isso, non consigo!!!!

    ah, a propósito, tem um meme no meu blog, citei vc para responder, táááááá???

    :)

  7. 7 silentdevotion novembro 3, 2007 às 5:59 pm

    Show de rock so é show de rock se muita coisa sair errado.
    Ainda assim gostaria de poder estar presente pra ver toda essa desgraça rolando.

  8. 8 Rachel Juraski novembro 5, 2007 às 1:31 pm

    Bairrismo sucks.
    Thats the only comment I have right now.

  9. 9 Fabiano Battaglin novembro 9, 2007 às 12:11 pm

    E eu, do alto de meus cento e oitenta e oito centímetros, vi ainda mais merda do que você dos seus cento e sessenta e nove.
    Uso os próprios Monkeys pra criticar o evento: “It’s a funny thing, you know. They’ll never listen, cause their minds are made up, and it’s OK to carry on that way.”

    TIM 2008, só no Rio!


  1. 1 Show de Rock? Tô fora! at mondocubano Trackback em outubro 30, 2007 às 5:32 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: