Ficção de amor

Wagner não gostava de música.

Tão estranho quanto não gostar de comer ou fazer sexo é não gostar de música.

Mas Wagner realmente não gostava de música.

Ele tentou, muitas vezes, escutar diversos gêneros com atenção redobrada.

Queria gostar de qualquer coisa. Rock, bolero, música clássica, polca, samba, eletrônico, canto militar soviético, Carlinhos Brown.

Pense em qualquer coisa que possa ser chamada de ritmo musical: Wagner escutou.

E não gostou.

Esboçou apenas um leve sorriso quando resvalou na versão de Bruno & Marrone para a melô da punheta, gravada ao vivo.

Não foi pela música, que odiou, mas sim por um grito abafado de “viado!” que ouviu da platéia, revelado somente por um equipamento de reprodução perfeito como o que possuía.

Anúncios

6 Responses to “Ficção de amor”


  1. 1 Yuri Moura abril 16, 2008 às 5:03 pm

    Não quero decorrer mais sobre tal assunto desinteressante, se bem que estou escrevendo aqui, e estou me contradizendo (meu nome deveria ser Contraditório da Silva), pois mais e mais segundos serão gastos com tanta baboseira, com nada pra pensar, ou melhor, pra pensar e, o que se deve realmente pensar (credo, odeio redundância, perda de tempo, perda de vida). Tomara que tu não penses que eu goste de escrever, porque se tu pensar que eu gosto de escrever, vais automaticamente perceber erros de português e sentir pena de uma pessoa que gosta de escrever e não lê, ou escreve de uma forma tão desagradável (como você) – Sim! Até uma opinião de uma formiga é importante pra mim. Eu desejo do fundo do coração que a esfera pública se torne real, daqui pra frente (e ponha frente nisso, pois o tempo, além de subjetivo, neste caso é extensivo, expansivo e demorado) e que este tipo de reprodutibilidade técnica e cultural não se repita mais a longo de pelo menos um ano. Parabéns, pelo blog, ele é muito legal, inteligente, chato, grosseiro, cotidiano, metódico, melódico e lúdico, ou vai ver nem é tudo isso.

  2. 2 Lucas abril 16, 2008 às 8:53 pm

    Que comentário mais chato, hein Yuri? Escreveu, escreveu, e não disse nada.

  3. 3 Rodrigo Lupatini abril 17, 2008 às 12:03 pm

    Droga, eu assisti ao clipe esperando ouvir o “VIADO!”, mas nada aconteceu!

    1 x 0 pra você Doda.

  4. 4 Yuri Moura abril 17, 2008 às 5:13 pm

    lUCAS, ERA ESSE O OBJETIVO!
    NÃO TINHA NADA PRA FAZER, RESOLVI
    DEIXAR MEUS JOBS UM POQUINHO DE LADO
    E NÃO DIZER NADA EM ALGUNS BLOG,
    PRECISAVA DE ALGUMAS RESPOSTAS PRA DAR IDÉIAS!
    VALEW

  5. 5 Vitor Zener abril 17, 2008 às 8:07 pm

    Po eu também fiquei ouvindo essa música para ouvir o viado!!!
    DODA, SEU VIADO!!!

  6. 6 Cristina junho 21, 2008 às 8:13 pm

    Porra gente, vocês são um bando de loukos meu!!!
    Mas gostei do estilo: Digo tanto, sem dizer nada!
    Esse pessoal escreve cada coisa né… quero dizer , vc lê e diz que cara Louko, e logo depois pensa, mas do que é que esse bosta ta falando… E olha que parece taum importânte, com essa palavras difíceis (reprodutibilidade técnica) mas é bosta nenhuma… acho que nem vocês entendem isso!

    Achei estranho, mas gostei do geito sarcástico.

    Diria gozação, mas sabe-se lá que equipamento de reprodução karas totalmente jackassss usariam para interpretar…

    Ainda mais quem fik ouvindo música esperando o momento de ouvir ”viado”…

    Adorei vocês… Adorei o blog.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: