Síntese & Eu

Não entendo e nem quero entender nada de medicina. Pago um plano de saúde para um cara que estudou o troço me dizer que aquela elevação na rabeira da minha mandíbula é o começo de uma caxumba.

Caso meu interesse no universo médico suba alguns pontos (mas não o suficiente para um novo vestibular), posso alugar temporadas inteiras de ER ou me entregar à moda House. Está tudo lá, romanceado e amassadinho com farinha láctea para a massa leiga.

Então realmente entendo quem aprende lições de vida com o universo da autoajuda (perdeu, hífen).

Se por qualquer raio de motivo – livre de julgamento por quem não está diretamente evolvido – o cara não se interessa naturalmente em analisar e entender coisas, pessoas e sentimentos que o rodeiam, ele tem o direito (desde que possua o caraminguá para tal) de adquirir um livro entregando mastigado, resumido e de bandeja que o segredo do sucesso é buscar a felicidade.

E como o filme do cachorro que morre no final bateu uma porrada de recordes de bilheteria e catatais afins nos EUA e no mundo, podemos esperar agora salvas de artilharia fortíssimas de histórias autoauxiliares filmadas para as telas.

Sucesso garantido, ninguém mais precisará concentrar esforços para quase terminar um livro em 8 meses. Duas horas de Jennifer Aniston bastarão para resolver anos de traumas existenciais.

Anúncios

3 Responses to “Síntese & Eu”


  1. 1 fran janeiro 7, 2009 às 2:42 am

    po, te falo que li o livro do cachorro que morre no final. Tenho confessar que, sendo a mulherzinha de botina que sou, me caguei de chorar. E nem quero ver o filme. Do contrario vou alagar a Nova Zelândia.
    (senti falta da sua presenca virtual la no MJA)
    bjos

    Doda: ei, eu só não ando comentando, mas leio o MJA religiosamente, to ligado no seu novo trampo em restaurante :-)

  2. 2 Cléu janeiro 7, 2009 às 8:45 am

    Anos de honorários comigo e meus colegas de profissão economizados.

    Mas não é por nada: a autoajuda com pipoca já não tinha começado com o tal Segredo? Ou seria “o cachorro e eu” a versão romanceada? Ok, tô falando demais, não vi nenhum dos dois – e não gostei :-P

    Doda: sim, sim, começou no segredo, mas o cachorro que morre é o primeiro sucesso estúpido (e nunca esse adjetivo foi tão bem aplicado) do gênero, agora é que vai começar a desgraça, corram para as montanhas!

  3. 3 Carol janeiro 7, 2009 às 3:25 pm

    Pra me ajudar mesmo, só um bom e velho (não necessariamente) terapeuta. Poucas coisas nessa vida me parecem tão absurdas quanto livros de autoajuda (o word continua sublinhando de vermelho a palavra sem hífen, fico paranóica).
    E quanto aos filmes, tô mesmo time da pessoa que comentou aqui em cima: não vi o Segredo, não tô nem um pouco a fim de ver Marley e eu e ah, também não vi ainda Tropa de Elite.
    Quando todo mundo gosta e passa e proclamar salvas a qq filme, eu já odeio de antemão. (bem sociopata).

    Doda: já eu nunca me ajudo, espero sempre a dos outros, por isso vivo na merda.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: