Restituição

Com o poder nas mãos por ter feito sozinho a própria Declaração de Imposto de Renda pela primeira vez, Sílvio saiu às ruas naquela manhã com sangue nos olhos.

Era o homem que havia tomado as rédeas definitivas do próprio destino subjugando os mecanismos burocráticos em nome da liberdade. O ocorrido era a derradeira batalha pela conquista da vida adulta.

Venceu o formulário, expurgou de si os resíduos de bundamolice que em tempos passados o fizeram temer fila de banco ou não ter a mínima idéia de como funcionava a aprovação de cadastro para uma compra parcelada.

Sem perceber, recebeu também o silencioso aviso oficial do sistema. “Ei, te engoli, otário”.

Distraído, estava em busca de todas as respostas. Não sabia, por exemplo, onde diabos foram parar todas as galinhas do mundo, já que para qualquer lugar que se olhe as coisas hoje em dia são sempre “de frango”.

feijoada_do_mineiro_nao_acaba_bem

Feijoada malfunction

Anúncios

0 Responses to “Restituição”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fitas pessoais e umas opiniões definitivas incertas. Qualquer coisa, dá um alô no doda.doda@gmail.com

@dodavilhena

Encontre

Arquivão


%d blogueiros gostam disto: